sábado, 12 de setembro de 2009

Dois poemas de DYDHA LYRA

Praia de Pajuçara - Maceió - Alagoas
.
.
Pajuçara.
.
Quantos matizes
Precisa meu olhar
Pra colorir o beijo fogoso e morno
De tuas ondas
Sobre pálidas areias
Que depois de afagadas
Em seus montes de sargaços
Imaginam-se mulheres
Defloradas por luzes
Que vazam das silhuetas esguias
De teus coqueirais!..
.
.
Solidão em Pajuçara
.
Trago em mim fantasmas
Que me cercam de dia
E dias que me vestem de noites
E noites que se desnudam,
Lascivas e libidinosas,
Bailando num silêncio
De pausa na ópera,
Desde a sinfonia do amanhecer..
.
Pajuçara sem sol
E um mar cinza, cinza, cinza...
.
Meus olhos ardidos,
Vento nordeste
Embaçou meu sentir ...
.
Calo as palavras,Nada digo...
Apenas vejo imprecisa
A paisagem que me olha,
Surda e quase muda,
Tateando minha solidão castrada,
Para que ninguém mais possa senti-la.

.

2 comentários:

Franz disse...

JUcá, visite meu blog. Fiz uma postagem falando sobre vc.
Franz

Prof. Adinalzir disse...

Caro José (Jucá)

Meus parabéns pelo blog. Mostra tudo de bom e inteligente que existe por essas terras nordestinas.

Também sou um amigo do Franz. Quando puder visite também o meu blog. Já sou um seguidor.

Abraços! :-)