segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Cultura alagoana perdeu Marcial Lima


Marcial durante o desfile do "Pinto da Madrugada"
.

Esta é a imagem que vou guardar do meu amigo Marcial Lima, à frente do bloco carvalesco "Pinto da Madrugada" que ele ajudou a fundar, com sua alegria e um sorriso escancarado de quem estava de bem com a vida. Ex-funcionário do Banco do Brasil e ex-presidente da Fundação Cultural de Maceió, articulista e cronista, colaborador de vários jornais da capital, um intelectual que fará muita falta à Alagoas.
Nossos últimos encontros ocorreram nas proximidades de minha residência, quando ele saía das sessões de foniatria, onde buscava reaprender a falar. Logo ele, um homem que ao longo da vida sempre dominou plateias pela força das palavras pronunciadas com clareza, como ator teatral ou como conferencista, estava reaprendendo a falar. Uma triste ironia. O último desfile do seu bloco do coração, assistiu, ao lado de familiares e amigos, da sacada de um apartamento na praia de Pajuçara.
Marcial encantou-se na manhã do último sábado, dia 17/09, deixando muita saudade.

4 comentários:

Lys disse...

Lamentamos, era uma grande figura alagoana.Ficamos mais pobres culturalmente.
Abraços,
Lys

dilita disse...

Como a realidade tem contrastes dolorosos. Vejo a imagem de alguém
cheio de vida e alegria... e agora adormecido para sempre.
Não conhecia,mas não fico alheia,uma vida terminada é um vazio que sobra.

Arlene disse...

Meu caro Zé, esta imagem do nosso amigo Marcial Lima, postada em seu blog, é a própria imagem da alegria que sempre existiu na alma do nosso querido amigo, um homem inteligente, otimista, cheio de vida, cuja repentina doença surpreendeu a todos nós, por vermos, diante de nós, um homem enfermo, cuja voz já não ecoava as músicas do seu bloco do coração: o Pinto da Madrugada. Sua morte representa uma grande perda para a cultura alagoana. Rezemos para que Deus lhe conceda a paz. Arlene.

Paixão Acesa - Marília Rodrigues Alencar disse...

Pai do meu amigo da faculdade Thiago, pessoa que conhecia desde menina dos comerciais da TV, pessoa culta e alegre, bondoso de alma... Realmente a cultura alagoana perdeu muito com sua ida aos braços de Jesus.