sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Sonetos de JUCÁ SANTOS

.
Muitos anos depois
.
Muitos anos depois, o nosso amor
Possui a mesma força do passado.
O mesmo sonho que já foi sonhado
E o mesmo verdadeiro resplendor
.
.
Muitos anos depois, o mesmo amor
Que entre nós dois havia, permanece,
Como se fosse a fervorosa prece
Que, juntos, dirigimos ao Senhor!
.
Muitos anos depois, as nossas vidas
Continuam marchando sempre unidas
Na realização dos seus projetos.
.
Muitos anos depois, mil estribilhos,
Cantamos, em louvor dos nossos filhos
E nossos tão abençoados netos
.
.
.

.
Agonia do poeta
.
Quero escrever, mas algo me atormenta...
Nem um verso, sequer, me brota d’alma.
Uma vontade louca me impacienta
E lentamente eu vou perdendo a calma.
.
Essa vontade que me surge lenta,
Rapidamente, dentro em mim se espalma.
Meu coração, depressa, então rebenta
As cadeias que o prende e não se acalma.
.
Quero escrever, meu Deus! Quero escrever!
Minh’alma tristemente quer dizer
Seu sofrimento ao mundo de ilusão.
.
É inútil tentar e eu fico mudo,
Pois se tenho papel e pena e tudo...
Me falta o principal: INSPIRAÇÃO!
.
.

Cláudio Antonio JUCÁ SANTOS, advogado, escritor e poeta, é natural de Maceió, onde nasceu no dia 10 de junho de 1933. Há vários anos preside a Academia Maceioense de Letras, da qual foi um dos fundadores nos idos de 1955. Dentre tantas honrarias recebidas ao longo dos seus 75 anos, recentemente foi homenageado pela Câmara Municipal, que lhe outorgou o título de “Cidadão Benemérito de Maceió”. Em agosto de 2005 foi eleito “Príncipe dos Poetas de Maceió”. É um dos maiores sonetistas alagoanos. Possui oito livros publicados além da participação em várias antologias brasileiras. Pertence a várias entidades culturais alagoanas e outras de âmbito nacional. Os sonetos acima foram extraídos do livro “Jardim Fechado” (Edições Catavento. Maceió-AL, 2003).

5 comentários:

Maria do Carmo disse...

Com que prazer e infinda alegria eu chego até aqui para dizer de minha admiração e meu respeito pela bela e sensível pessoa que é JUCÀ SANTOS, que tive o prazer inenarrável de conhecer numa bela tarde maceioense, levada por meu amigo Cavalcanti Barros, e, encantada, ouvir seus versos.
Que emoção Jucá, poder te mandar um grande e carinhoso abraço.
Tua fiel admiradora
Maria do Carmo Costa
(Carminha)

Franz disse...

Caro primo Jucá Santos, ou "Claudinho", como o chamava Waldick Pereira, meu saudoso pai, é com um enorme prazer que acesso este blog e deixo meu abraço paraônico.

Com respeito, carinho e admiração, seu
Franz

laerço dos santos disse...

Foi muito bom, e fiquei muito feliz por tão significativa e merecida homenagem oh caro Poeta Juca,
.
Parabéns!
Te envio esse soneto.

Homenagem ao Poeta Dr, Jucá Santos,
"O Príncipe da Poesia".

Em plena noite, sendo ladeado
por colegas em relevante simpatia
Sendo o foco a ser homenageado
Foi aplaudido o Príncipe da poesia!

Celebridades fizeram-se presentes
levando o apreço ao Poeta Jucá
da Academia de Letras Maceioense
cinquenta e seis anos a administrar.

Citou-se Manoel Cícero e seus versos
E O Príncipe dos Sonetos nos agraciou
Com Contas de Rosário: o Livro de amores....

Entre declamações e comenda a diversos
o Poeta Jucá Santos, em soneto falou
"Se querem me brindar - "Em vida, tragam flores"!

Laerço dos Santos amante da poesia.

Sheylla Jucá disse...

Amo esse HOMEM!!!
Jucá Santos
Para mim simplesmente Vô Jucá

Flávio Lima disse...

Jucá, a quanto tempo não falo com você. Tive a honra de lhe atender no processo de impressão de seu livro Poemas de uma noite de Insônia. Saudades amigo. Flávio Lima - Viena Gráfica e Editora - SP