segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Dois poemas de Aydete Vianna de Lima

.
Ah, esta dor!
.
Noite sem lua,
Deixa que me abrigue
No teu manto
De infinita escuridão.
Apanha-me em teus braços
De suave negrura
E por um leve momento
Aplaca esta dor
Que o mundo me causa.
.
.
.
Seu Amor
.
Concentro no corpo
O perfume de todas as flores
A luz de todas as estrelas.
Cantam em mim rios correntes
Pássaros alegres e fontes.
Dançam em mim as borboletas
Como se eu fosse um jardim.
Seu amor me transmuda em festa
Faz dos meus sonhos, canções
E de minha alma, a paz.
.

Aydete Vianna de Lima nasceu em Maceió, é advogadas formada pela Universidade Federal de Alagoas, é Procuradora de Justiça (aposentada), jornalista e poetisa. Os poemas acima estão no seu livro “As Guirlandas de Puck”, Edições Catavento, Maceió-Alagoas (2003).

3 comentários:

Edna disse...

Zealaberto

Aydete Vianna

Uma mulher merecedora de muitos elogios.
Sou uma admiradora dela.

Anônimo disse...

Parabéns doutora Aydete, sempre admirei o seu trabalho de profissional do Direito, agora sei também de sua veia poética. Dois poemas muito bonitos. Continue assim para nosso orgulho.

Carlos Ronivaldo

Anônimo disse...

Caro Zé Alberto: parabéns pelo blog, inteligente espaço dedicado à poesia. Que bom ter descoberto seus versos, você de quem eu conhecia apenas a prosa leve e bem estruturada. A Borboleta e a Menina é um delicioso canto de amor a Deus, à Natureza. Obrigada por ter-me incluído nesse relicário de beleza que é o jac-versoreverso. Aydete Vianna